downloadBrasília, 16 de abril – O Brasil caminha na direção certa ao empreender um ajuste fiscal, mas deve enfrentar a onda de escândalos por corrupção de forma verossímil, a fim de atrair os investimentos para impulsionar o crescimento, disse nesta quarta-feira um alto funcionário do Banco Mundial.

“O Brasil está fazendo o que tem que fazer: readequando todos os padrões macroeconômicos de gasto às novas condições e está tratando de fazer um esforço muito grande (…) para que os investimentos desempenhem um papel mais importante na economia doméstica do que o consumo”, disse o economista-chefe para a América Latina do organismo, Augusto de la Torre.

“Essa tarefa não é fácil”, ressaltou de la Torre a jornalistas em Washington, onde nesta semana o Banco Mundial e o Fundo Monetário Internacional (FMI) celebram suas reuniões anuais.

Para de la Torre será importante observar como o caso de corrupção na Petrobras correrá na Justiça brasileira.”Se o Brasil conseguir administrar os problemas de ilegalidades e escândalos, a conjuntura pode jogar a favor do país em relação aos investidores internacionais, afirmou.