Criminosos tentaram furtar gasolina no estado de São Paulo. Crime vai afetar o fornecimento de gás na capital

Correio Braziliense

As dificuldades com o abastecimento de gás do Distrito Federal devem aumentar. A situação será agravada devido a perfuração acidental de um duto de Gás Liquefeito de Petróleo (GLP) que liga o Porto de Santos à cidade de Mauá, em São Paulo. A ação aconteceu durante a última quarta-feira (15/4), quando um grupo de criminosos tentavam furtar gasolina.

De acordo com a Transpetro, subsidiária da Petrobras, todas as medidas necessárias estão sendo tomadas para garantir a segurança da população. “Equipes da companhia foram para o local, isolaram área e interromperam a operação do duto, que liga o Terminal de Cubatão à Refinaria de Capuava (Recap)”, afirma em nota. Segundo a instituição, o trabalho está sendo conduzido em conjunto com a Defesa Civil, o Corpo de Bombeiros, a Polícia Civil e Militar.


As obras de operação do duto começaram hoje (16/4) e tem previsão de término no próximo sábado (18/4), data de retorno de funciomento. A Transpetro ressaltou, ainda, que busca por uma resolução eficaz e rápida, uma vez que intervenções nos dutos podem trazer riscos para a comunidade, como incêndios, explosões, vazamentos, poluição e contaminação de áreas ambientalmente sensíveis. “Além de irresponsável, a prática desse tipo de ato no momento em que enfrentamos a pandemia de Covid-19 reforça seu caráter criminoso”, ressalta.

Desabastecimento
Segundo o presidente do Sindicato das Empresas Transportadoras e Revendedoras de Gás (Sindivargas – DF), Sérgio Costa, já haviam problemas em reestabelecer o abastecimento devido ao enorme gargalo na logística de transporte, devido à infraestrutura dos portões e de transportes. “Não suportam alterações bruscas de comportamento de consumo”, lamenta. Com o crime, as dificuldades foram reforçadas. “Com esse incidente não podemos ter uma expectativa de normalização. É preciso aguardar para avaliarmos melhor os reflexos”, adverte.


Sérgio diz ainda que, até o momento, não há alternativas para evitar um prejuízo maior do que o vivenciado pela população brasiliense. “Precisamos de investimentos no setor de GLP para termos como escoar o Gás Liquefeito de Petróleo aos pontos que estão hoje desabastecidos”, explica. Em nota, a Transpetro reforçou que, durante os próximos dias, a demanda de gás será atendida a partir de estoques já existentes em Mauá e das novas cargas importadas de GLP que chegaram no Porto de Santos.